quinta-feira, dezembro 29, 2011

Homenagem à minha família

Nada como o tempo! Glória a Deus pelo tempo, glória a Deus pela vida.
Ontem tive um dia dos mais agradáveis do ano - e que ano maravilhoso Deus me deu! Revivi o prazer de ser família, de ter família.

Não escolhemos onde queremos nascer, quem serão nossos pais, nossos familiares. Nós os recebemos como um lindo presente de Deus. E assim os consideramos durante um tempo. Estamos visceralmente ligados aos pais, aos irmãos, à família. Amamos encontrar os primos, os tios, construímos em família nossas melhores histórias, os doces retratos da infância.

Então a gente cresce e por um tempo tudo o que quer é se afastar, provar que somos independentes, suficientes. Na verdade, isso nem seria preciso, porque a própria vida cuida disso. A correria, os milhōes de compromissos, as novas companhias, por si sós, aos poucos nos afastam daqueles a quem estamos conectados para sempre mesmo sem saber.

Aí vem o casamento. Já temos uma carreira, percorremos um bom percurso, demos satisfação da nossa vida a muita gente que nem merece o que somos. A família cresceu, se espalhou, uns poucos ainda fazem parte do nosso círculo de amizade. A maior parte só vemos nas festas de fim de ano, e quando resolvemos comparecer. Sentar e conversar? Relembrar os bons momentos? Não temos tempo. Tanta coisa "importante" nos aguarda.

Mas tem coisas que estão impressas no DNA. E o tempo, antes algoz, agora bom e velho amigo, ajuda. De repente, um ímã que antes repelia, muda o pólo e começa a nos puxar de volta aos nossos melhores anos, às nossas melhores lembranças, ao nosso doce passado redescoberto. É assim. Foi assim ontem. Têm início as reaproximaçōes e não queremos contar as novas histórias, queremos relembrar as antigas.

Ah, delícia de família! Ah, lembranças maravilhosas! Ah, sangue Souza Lima, Souza Pereira, Vilas Bôas de Almeida ou seja lá que sobrenome tenha agora.

Demorou para que eu gostasse do Facebook. Hoje amo. Reencontrei meus tios, meus primos, meus amigos de longa data, gente de quem não tinha notícia há muito tempo. Chorei e orei por causa dele este ano, quando soube dos tios doentes. Ri muito com o bom humor dos primos - em especial vocês, Ju, Deló e Anndreya. Visitei as páginas da vida de alguns que não vejo há séculos e me alegrei muito por vê-los bem, com filhos, com netos, com um grande sorriso no rosto. Refiz laços desfeitos pelo tempo, pela minha insensatez, pela proclamação da independência que não deveria ter ocorrido nunca.

Quero voltar. Vou voltar. Goiânia que me aguarde!

Obrigada, familiares queridos. Reencontrá-los este ano foi tudo. Realmente o sangue fala mais alto. É bom ser a Keilinha do passado; bom sair com a Deló e não com a Pastora Delonise; bom almoçar com a Juliana, profissional de sucesso com uma carreira brilhante pela frente; bom abraçar a Tia Leila que não via há tanto tempo e me acompanhou na caminhada até o altar; maravilhoso encontrar Bibinho e Tavinho, que nem quero chamar pelo nome completo; saber que estou mais próxima de você, Luciano, que não vejo há tanto, tanto tempo. E vou parar por aqui, porque com uma família tão grande isso pode dar bode (kkkkkk).

Querida família, amo vocês muito, muito, muito...

terça-feira, dezembro 27, 2011

O que você sabe sobre Deus?

Eu não sei o que você sabe sobre Deus, mas sei um pouco do que dizem sobre Ele. Fui criada em um lar onde se falava, e ainda se fala, muito com Deus e sobre Deus, o que é um grande privilégio. E se ter pais corretos, justos, honestos fosse capaz de garantir para alguém o céu, certamente eu e meus irmãos entraríamos lá com facilidade. Meus pais se parecem muito com Deus. Talvez você queira me perguntar: por acaso você conhece tanto assim a Deus para dizer que seus pais se parecem com Ele? Vamos à resposta.

Conhecer as pessoas não é tão difícil quanto parece, mas muitos escolhem o modo errado. Tem gente que acha que me conhece porque me ouviu falar ou me viu em algum lugar, porque esteve comigo em algum momento. Há até uma expressão que diz: conheço de vista, o que quer dizer eu o vi, mas não eu o conheço.

Não se pode conhecer alguém pelo que os outros dizem. Cada um julga como quer, absorve o que quer, valoriza o que quer. A visão, a opinião é muito pessoal. Existe quem veja o bem em todo lugar e também o contrário. Ontem li a seguinte frase no Twitter: "Alguns invejam, outros são invejados".

A melhor forma de conhecer alguém é andar junto, ouvir o que a pessoa diz acerca de si mesma, ver como ela age, observá-la. Só quem anda muito perto sabe quem realmente são as pessoas. Só para descontrair conto aqui o que ouvi de um garotinho de cinco anos acerca do seu pai. O pastor perguntou a ele: "Fulaninho, seu pai ora e lê bíblia"? Ele respondeu: "Nunca". Rimos da sinceridade do garotinho, mas deveríamos mesmo é chorar por saber que essa pessoa diz a todos que ora e lê Bíblia sempre.

Deus quer se dar a conhecer, por isso escreveu muita coisa a Seu respeito. Existem 1.189 capítulos num livro em que Ele fala dEle próprio. Quem lê fica estupefato com o que está escrito lá, porque desfaz tudo de errado que ouviu. Não sei quem foi que fez com que O víssemos como um pai bravo pronto a punir, um senhor inflexível, um juiz rigoroso, alguém sério e mal humorado. O que sei é que verdadeiramente Ele não é assim.

Deus é um pai que espera todos os dias a volta de um filho que o desprezou e pediu a herança antecipadamente; que sabe de coisas vergonhosas a nosso respeito, mas não conta pra ninguém; alguém disposto a pagar as nossas dívidas mesmo quando não paramos de fazê-las; que nos conta segredos, mesmo sabendo que certamente iremos revelá-los; que continua nos amando, mesmo quando o traímos, desprezamos, desconsideramos.

Trago aqui apenas um pouquinho do que Ele diz acerca dEle e que você pode confirmar por Sua Palavra ou pela experiência, andando com Ele: "Deus é amor" (I Jo 4.8); "Cuidarás para que eu não erre, em vez de ficares espiando para me veres pecar. Esquecerás os meus pecados e apagarás os meus erros" (Jó 14:16,17); "Eu, eu mesmo, sou o que apaga as tuas transgressões por amor de mim e dos teus pecados me não lembro" (Is 43:25); "Com amor eterno te amei; também com amável benignidade te atraí" (Jr 31:3); "Quando passares pelas águas, estarei contigo, e, quando pelos rios, eles não te submergirão; quando passares pelo fogo, não te queimarás, nem a chama arderá em ti" (Is 43:2 ARC).

Poderia escrever aqui mais um bocado a respeito dEle, mas é melhor você mesmo procurá-lO, afinal, ninguém melhor do que Ele mesmo para revelar-Se.

Leia a Bíblia, ore, ande com Deus!

Beijos.

quinta-feira, dezembro 22, 2011

Coma muuito!



Terminei ontem um propósito de leitura da Bíblia em noventa dias (na verdade, levei 94 dias). Já ouvi dizerem que é besteira fazer uma leitura assim corrida, de tantos capítulos por dia. Não concordo. Às vezes, temos tempo para sentar e saborear uma refeição devagar, pedacinho por pedacinho. Em outras, precisamos muito nos alimentar rapidamente. A fome aperta, as necessidades são muitas e é preciso correr. Pode ser algo gostoso, preparado num drive, comido dentro do carro rapidinho, pode ser um arrozinho com tomate, que se faz em cinco minutinhos. E faz bem. Alimenta, resolve o problema imediato da fome e até alegra, sabia? Tira o nervoso que a fome dá na gente.


Cada comida tem um sabor e o nosso corpo sabe bem de que vitamina precisamos. Você já acordou com vontade de chupar uma laranja? Tem horas que o meio do nosso corpo dizer que precisa de vitamina c é fazendo você salivar só com o pensamento de uma laranja geladinha descascada. A sede, a fome, o frio, tudo isso mostram que o corpo está necessitando de cuidados específicos.

A Palavra é um alimento. Sem ela, a alma sofre, morre mesmo. Tem muito zumbi por aí. E esses zumbis cuidam de tentar infernizar a vida daqueles que têm alma. Eles fazem a nossa existência sofrida. É impossível não encontrá-los no trabalho, na faculdade, na rua e, pasmem, na igreja. Estão por toda parte. A televisão conta muitas histórias sobre eles. Não têm compaixão de pessoas nem de animais, não pensam que há Deus, são insensíveis, incapazes de desejar o bem. Veem o mal em tudo e em todos. Sua filosofia é: quanto pior, melhor. Para eles, o mundo caminha para o caos. Salve-se quem puder.


Quem tem a alma viva é diferente. A Bíblia conta de um homem chamado justo por Deus. Seu nome era Ló. Ele morava no meio de uma cidade tão cruel que precisou ser destruída: Sodoma. E o livro de II Pedro 2.7,8 conta essa história da seguinte maneira: E livrou o justo Ló, enfadado da vida dissoluta dos homens abomináveis, porque este justo, habitando entre eles, afligia todos os dias a sua alma justa, pelo que via e ouvia sobre as suas obras injustas.


Nossa alma sofre com injustiças, com a maldade, com a insensatez, a frieza, a corrupção, com toda obra do mal. E não há como ficar imune, porque habitamos num mundo com bilhões de pessoas maravilhosas e crueis, simples e complicadas, bondosas e malignas, amigas e destruidoras.


O que fazer para não morrer pela falta de esperança? Alimentando a alma. Ó Deus, tu és o meu Deus forte, eu te busco ansiosamente; a minha alma tem sede de ti; meu corpo te almeja, como terra árida, exausta, sem água (Sl 63:1). Guia-me pelas veredas da justiça por amor do seu nome; refrigera-me a alma (Sl 23.3).


De que se alimenta a alma? De informações, impressões, pensamentos que se transformam em sentimentos. A Bíblia se refere à alma também como coração e nos manda termos cuidado com ele: Sobre tudo o que se deve guardar, guarda o teu coração, porque dele procedem as saídas da vida (Pv 4:23).


Ninguém é capaz de nos fazer comer - pelo menos se não somos mais crianças. A gente come o que quer, quando quer. Ninguém é capaz de me fazer descer goela abaixo um queijo minas, porque eu odeio queijo. Com relação ao alimento da alma, é a mesma coisa. Ninguém é capaz de fazê-lo comer uma porção saborosa do livro de Eclesiastes. Você tem que decidir quando e como fazê-lo. Por outro lado, ninguém é capaz de fazê-lo também engolir uma ira, uma inveja ou um ressentimento. Você é que decide colocar isso para dentro ou simplesmente cuspir.


Talvez você queira me dizer: "Keila, você está redondamente enganada. Muitos dizem que é sábio engolir um insulto". Não é bem assim. Engolir a ira e continuar irada, engolir sapo e ficar magoada, engolir um tapa e planejar a vingança é tolice. Quem bebe veneno vai morrer se não fizer lavagem estomacal. Quando Jesus disse que a quem batesse na sua face era para oferecer o outro lado, não queria dizer apanhe até morrer. Oferecer a outra face é para pessoas que estão bastante avançadas na escolinha de Jesus. Quando Ele fez isso, foi capaz de dizer com amor e não com mágoa: "Pai, perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem". Ele não se deixou contaminar. No fundo, oferecer a outra face faz mais bem a você do que ao ofensor. Quem o faz está indiretamente dizendo: você é incapaz de me machucar. Estou preparado para tudo.


Bom, já estou demorando demais neste post, mas estou para terminar. Leia este texto aqui: A alma farta pisa o favo de mel, mas à alma faminta todo amargo é doce (Pv 27:7). A alma alimentada sabe escolher o que mais precisa comer. Pode escolher entre três sobremesas. A alma faminta come de tudo. Até o que não presta lhe parece bom. A alma alimentada não deixa os elogios lhe subirem à cabeça, o orgulho ocupar seu coração, a vaidade contaminá-lo. A alma faminta aceita alimentar-se do pecado, da fofoca, da intriga, dos maus pensamentos...


Coma hoje mesmo o alimento mais nutritivo que existe: a Palavra de Deus, não importa se só um pedacinho ou se uma dose concentrada, como fiz nos últimos dias. É o único alimento que contém absolutamente todas as vitaminas de que o corpo precisa. Quem dela se alimentar nem vai ter vontade de comer as porcarias que o mundo oferece, não vai se ocupar de contar as notícias tristes do dia, as tragédias acontecidas na família de cicrano ou beltrano, as fofocas a respeito de um ou de outro. Na verdade, quem come Bíblia transmite uma sabedoria inigualável e só tem assunto bom para compartilhar. Quem come Bíblia é um revolucionário, está pronto para coisas extraordinárias: O Espírito do Senhor Jeová está sobre mim, porque o Senhor me ungiu para pregar boas-novas aos mansos; enviou-me a restaurar os contritos de coração, a proclamar liberdade aos cativos e a abertura de prisão aos presos; a apregoar o ano aceitável do Senhor e o dia da vingança do nosso Deus; a consolar todos os tristes; a ordenar acerca dos tristes de Sião que se lhes dê ornamento por cinza, óleo de gozo por tristeza, veste de louvor por espírito angustiado, a fim de que se chamem árvores de justiça, plantação do Senhor, para que ele seja glorificado (Isaías 61:1-3).


Esse último texto é uma sobremesa das melhores!

sexta-feira, outubro 14, 2011

Compaixão? Não. Respeito.

"Se te mostrares frouxo no dia da angústia, a tua força será pequena" (Pv 24:10).

Ainda me lembro do começo do casamento, das brigas por um pouco menos do que nada, da minha infantilidade em tentar gerar no Riquinho compaixão. Em meio às discussões muitíssimo necessárias, afinal, é ferro afiando outro ferro, muitas vezes eu começava a chorar tentando fazer com que ele ficasse sensibilizado e se sentisse arrasado por ter ferido uma pobre donzela.

Mas os homens são feitos de carapaça em lugar de pele. Também, isso é necessário. Quem foi chamado para conquistar não pode se sensibilizar com o pedido de um inimigo dizendo: "Poupe a minha vida, por favor"! Homens são guerreiros, desbravadores, conquistadores no melhor sentido da palavra.

Nós mulheres temos muito a aprender. E é aí que entra o versículo aí de cima. Quem se mostra fraco na hora da angústia realmente tem pouca força. Demorei para entender o que Deus estava querendo dizer, mas acho que agora compreendi.

Na hora da dor, do fragor da batalha, a pior coisa que podemos querer despertar é a compaixão. Os inimigos não se sensibilizam com lágrimas, com desculpas, com justificativas. Aliás, há uma frase que diz: "Não se justifique, pois os inimigos não acreditarão e os amigos não precisam disso".

Muito sabiamente a Bispa Sônia escreveu em seu livro que em tempo de guerra índio não chora; ele se pinta. É isso mesmo. Mulher pode até tentar buscar compaixão se a questão for com ela, mas quer descobrir a leoa que existe dentro dela mexa com seu filho. Cito mais uma vez uma frase da Bispa: "A parte do corpo que mais dói em uma mulher é o filho". Mexa com ele e prepare-se para uma luta selvagem.

É tempo de guerra? Vista a armadura, engula o choro, estufe o peito, olhe à frente, pegue a espada e marche. Vença. Não se deixe ser vencido. Ataque mais do que se defende.

Esperar compaixão? Jamais. Quero mesmo é respeito. Aos que conquistei que se unam a mim e me ajudem. Aos que não se deixaram conquistar que saibam que estão diante de uma mulher admirável. Orgulho? Não. "Assim como pensa em sua alma assim é" (Pv 23.7). Contra fatos não há argumentos. E aqui vai uma frase maravilhosa do meu marido: "Posso não ser tudo o que gostaria, mas sou mais do que pensam de mim; sou exatamente aquilo que Deus diz que sou".

Admirável leitor, faça história. Lembre-se:

"Mas em todas estas coisas somos mais do que vencedores, por aquele que nos amou" (Rm 8:37).

quarta-feira, outubro 12, 2011

O Dia Mais Feliz da Minha Vida

Viver é um desafio tão grande! São tantas lutas, tantos sonhos ainda distantes, tantos percalços, tantas coisas que nos entristecem...

Até poderia ser assim o meu dia hoje: feriado, um tempo para pensar, orar, escrever, um tempo para chorar, para lamentar, não fosse o Senhor na minha vida.

Andar com Deus é viver em plenitude de alegria, é ter mais o que comemorar do que reclamações a fazer, é ter boas palavras mesmo nos momentos mais desafiadores, é crer ainda que, apesar de.

Tenho aprendido que tudo na vida depende do ângulo que se olha. Para cada olhar há uma visão. Olhe a vida do alto de um monte e a paisagem será uma. Olhe da cela de uma prisão e será outra. Olhe de baixo para cima e será de um jeito. Olhe de cima para baixo e será de outro.

Amo os Salmos, mas o da hora tem sido o 121. O salmista escolheu um ângulo interessante num momento de angústia: "Elevo os meus olhos" - uma visão de baixo. O que ele buscava? "De onde virá o meu socorro"? Ele poderia olhar em volta, buscar os guerreiros mais fortes e, olhando para o povo, fazer a mesma pergunta. Enquanto perguntava ao Senhor, buscava seu socorro, escolhia os guerreiros. Mas não foi assim.

O salmista também poderia ter feito essa pergunta olhando para baixo, enquanto escolhia as armas que usaria na sua batalha. "Onde está o meu socorro, Senhor"? Orava e afiava a espada, polia o escudo, calçava as sandálias.

Não há o que fazer quando se olha para cima. Olhar para acima dos montes, que era onde estavam os olhos do salmista, não permitia caber no mesmo ângulo o vislumbre das pessoas, da conquista, do desafio, das armas. Ou tudo, ou nada; ou Deus, ou a derrota.

E tem mais. O versículo que mais me chama a atenção é este aqui: "Ele não permitirá que o teu pé vacile; não dormitará aquele que te guarda" (Sl 121:3). Gosto de dizer que a Bíblia é literal. Ele não permitirá que eu vacile e ponto final. Se eu começar a me desviar, me corrigirá; se eu resolver desistir, me reanimará; se eu me entristecer, me alegrará; se eu simplesmente parar, me dará o impulso necessário, porque Ele não desiste.

Deus não muda. Aleluia! O mesmo Deus que não desistiu de Gideão, de Jeremias, de Jonas, de Moisés não desiste de nós. Gosto de ler o que Ele disse a Jeremias: "Respondeu-me, porém, Jeová: Não digas: Eu sou um menino, porque a todos a quem eu te enviar irás; e tudo quanto eu te mandar falarás" (Jr 1:7). Em outras palavras: "pare de dar desculpas; o que eu mandei você fazer vai fazer e ponto final". Isso me faz ter segurança. Ele me deu uma missão, sabe o que eu devo fazer, me manda fazer e não vai desistir de mim. Posso estar segura. Isso inclui também o fato de que suportará meus erros, minhas criancices, minha incompetência, minha falta de habilidades, a minha própria pessoa às vezes.

Acho que agora você deve estar querendo me perguntar: o que isso tem a ver com o título do post? Por que o dia mais feliz da minha vida?

Porque o dia mais feliz da minha vida é o hoje. O que passou, passou. O que virá estou plantando. Nada de lamentar o passado, nada de temer os desafios, nada de tentar me explicar para os outros, nada de nada... Este é o dia que o Senhor fez para que eu me alegre nele.

E o que vou fazer então? Cantar louvores, celebrar, sorrir, festejar, apertar muito a minha família, almoçar com papai e irmãos, jogar meus sobrinhos para o alto, ver fotos de viagens, comer as delícias da cunhada Mi, encontrar-me com amigos queridos, ministrar na reunião de discipulado... Está bom por hoje?

Este é o dia mais feliz da sua vida. Deus não desistiu de você. Alegre-se. Comemore (principalmente se tiver filhos).

Grande beijo.

segunda-feira, outubro 03, 2011

Cuide da família!

Mas, se alguém não cuida dos seus, e principalmente dos da família, negou a fé, e é pior que o incrédulo (I Tm 5.8).

Há algum tempo, tenho pensado no assunto deste post, mas só agora resolvi compartilhar. O que digo aqui é resultado de um convencimento que me chegou à mente depois de tentar entender tantas coisas que têm acontecido comigo, com pessoas próximas, com o mundo.

Se pudéssemos antecipar as consequências de muito do que fazemos, não passaríamos por situações tão dolorosas. Do que estou falando? Das piores guerras que alguém pode enfrentar: aquelas que ocorrem em família. Percebi que oramos por tantas coisas, gastamos tempo com tantas coisas e, na correria do dia a dia, no estresse, na falta de sabedoria, relegamos a segundo plano aquilo que deveria ser posto em primeiríssimo lugar – depois de Deus e de nós mesmos, é claro.

Desde pequenos, nosso senso de propósito, de missão e de valor é recebido em família. Pai e mãe têm um dever sério, muito sério. Eles constroem ou destroem o senso de valor de seus filhos. Ter filhos é uma tarefa muitíssimo desafiadora, mas na verdade, mais profundo do que ter filhos é ser mãe. É mais fácil ter filhos do que ser mãe. Que loucura parece que estou dizendo? Filhos muitas mulheres têm, mas mães poucas são. Algumas crianças são criadas por babás, outras pela creche, pela escola, pelos amigos, pela televisão, pela Internet.

Mas continuemos no nosso assunto. A primeira família do mundo viveu um drama terrível: um filho assassinou o outro. Posso descrever para você aqui guerras terríveis escritas na Bíblia. Vamos lá. Raquel e Lia disputaram o mesmo homem; Absalão, filho de Davi, tentou depô-lo do reinado dizendo-se muito melhor do que seu pai; os irmãos de José o venderam, mas queriam mesmo era matá-lo; Ló tentou passar a perna em seu tio Abraão, que foi tão bondoso com ele sempre; Jacó foi explorado por seu sogro Labão, traiu seu pai Isaque, enganou seu irmão Esaú; Rebeca amou mais um filho do que outro... Quer que eu continue? Leia a Bíblia. Até mesmo os irmãos de Jesus e sua mãe foram buscá-lo certa ocasião por acharem que estava louco.

Conviver com inimigos, ter que vencê-los, suportá-los não é fácil. Quando eles estão na família então o problema se agiganta, principalmente porque detêm informações privilegiadas a nosso respeito, costumam ser implacáveis quando irados, podem matar à unha.

Talvez você esteja pensando que estou falando da minha própria família. Nada disso. Estou falando do mundo – espero não estar falando da sua família, apesar de achar isso praticamente impossível. Quem não tem um irmão mais duro, um tio invejoso, um parente áspero que não vá com a nossa cara, que não nos tolere ou que tenha uma frustração tão grande com a sua própria vida que não consegue tolerar a felicidade alheia?

Vou mais fundo ainda. Imagine ter como inimigo o próprio cônjuge, o pai ou a mãe? Por que você está falando isso, Keila? Porque recentemente soube de vários casos de casamentos destruídos e meu sentimento de tristeza e compaixão é enorme. Ontem o jornal noticiou o caso de um professor que assassinou sua namorada sem dó nem piedade porque foi deixado. Na verdade, a mulher havia decidido voltar com o ex-marido. Sério isso, não é?

Talvez seja a hora de parar tudo e ficar mais em casa, de não considerar “tempo perdido” o sábado à noite em que os filhos estão passeando e se fica só com o marido, de celebrar cada almoço em família, cada dever de casa feito com os filhos. Isso, sim, é trabalho útil, imprescindível, necessário.

Deus me disse que quando eu orasse por minha família Ele responderia de imediato. Dou a você o mesmo conselho. Enquanto a casa não cai, o casamento não esfria, os filhos não se casam, os pais não se vão, os parentes não se mudam de cidade, tire tempo para eles. A Bíblia diz que há amigos mais chegados que um irmão e isso é verdade, mas bom mesmo é um irmão muito chegado.

Este final de semana, passei o sábado inteiro trancada em casa com meus cunhados. Foi a primeira vez que assisti tanto filme de uma só vez. Meus filhos e meus sobrinhos se divertiam como nunca. Isso, sim, é um dia que vale a pena.

Tenha sua família como seus grandes aliados!

Tenha uma boa semana e não se esqueça de fazer algo especial para a sua família.

Beijos.

quarta-feira, setembro 28, 2011

De pedra ou de carne?

O texto de hoje eu amo muito. É uma promessa maravilhosa. Deus diz que tirará de nós o coração de pedra e nos dará um coração de carne. Realmente é um texto interessante: Dar-vos-ei um coração novo e porei dentro de vós um espírito novo; tirarei de vós o coração de pedra e vos darei coração de carne (Ez 36.26).




O que eu sei a respeito das pedras? Lembro-me do ditado: "Água mole em pedra dura tanto bate até que fura". Mas quanto tempo demora para isso acontecer? Ah, são muitos, muitos anos. E nós dispomos de anos suficientes para ver um coração duro ser amolecido? Acho que não.



Como é que um coração se endurece? Com a paulada. Quanto mais sofre, quanto mais é desapontado, desafiado, mais se endurece. É de corações assim que procedem palavras como: nunca mais, não perdoo, não esquecerei jamais, não quero nem saber, não estou nem aí...





Muito antes de nascer a Juju, li um livro chamado as chaves para o coração do seu filho e nunca mais me esqueci dele. Dizia que cada vez que os filhos são decepcionados, desapontados, ofendidos, machucados uma porta se fecha e que, depois de se fechar, é muito difícil abri-las novamente. Na minha jornada de mãe tenho descoberto que isso é verdade, mas graças a Deus que nos dá todos os conselhos de que precisamos e nos ajuda na árdua, mas prazerosa tarefa de educar.


É bom saber que o que vale para Deus, vale para qualquer pessoa. Se funciona com Deus, funcionará com os homens. Como assim? Como é que se abre a porta para entrar na presença de Deus. Entrai por suas portas com louvor e nos seus átrios com hinos (Sl 100.5). O que é louvar? É falar bem, exaltar os feitos. Entendeu?


Descobri que para abrir as portas do coração, para amolecer aqueles lugares que já viraram pedras, o segredo é desfazer toda palavra dura, trazendo palavras de bênção, destravar tudo pelo louvor. A resposta branda desvia o furor, mas a palavra dura suscita a ira (Pv 15:1). E funciona mesmo. Passei oito dias viajando com os meus filhos e aproveitei esse tempo para nutrir a alma deles de amor e de palavras de bênçãos. Notei que meus filhos mudaram. Até o semblante mudou.


Volto ao texto daí de cima. A promessa é receber de Deus um coração de carne. Diferentemente da pedra, a carne, quanto mais apanha, mais amolecida fica. O coração de carne sofre, também recebe pancadas, mas se torna cada vez mais flexível, mais maleável, melhor. Já experimentou bater um bife para ver como fica? O coração de carne não fecha portas, não se tranca. É esse o coração que Deus quer que tenhamos: preparado para, diante dos embates da vida, não se tornar pior. Quem tem um coração de carne ira, mas não peca; sofre o prejuízo, mas não perde a paz; é decepcionado, mas não guarda rancor; enfrenta desafios, mas se mantém esperançoso; espera da vida sempre o melhor.


Como está seu coração? É de pedra ou de carne?


Deus pode dar a você um coração novo. Peça a Ele esse coração de carne. É promessa? Então tome posse dela. Se Ele disse que vai dar, é certo que dará mesmo.


Um beijo do fundo do meu coração de carne.

segunda-feira, setembro 26, 2011

Deus sempre ouve

Ontem ministrei louvor na igreja e compartilhei que, de todas as propostas do evangelho, para mim uma das mais desafiadoras é o chamado a crer. Não é fácil ter fé. É contra tudo o que é "racional", afinal de contas sua proposta é ver antes de possuir, não confiar na lei do mundo natural, mas "enxergar" o que não se vê, o espiritual. A fé é a certeza de que vamos receber as coisas que esperamos e a prova de que existem coisas que não podemos ver (Hb 11.1).

Não posso dizer que Deus não existe, não ouve ou não responde se minhas próprias experiências dizem o contrário. Quero crescer em fé, oro por isso e vejo a cada dia o Senhor me conduzir para mais perto. Se digo a Ele que tenho dificuldades em crer em muitas coisas, não é de admirar que Ele providencie para mim meios de crer. E novamente Ele o fez.

Havia um viúva, nos tempos do profeta Elias, que tinha farinha e azeite suficientes para um único e último bolo para ela e para seu filho. Ela precisava de um milagre. Deus enviou o profeta à sua casa para multiplicar seu mantimento. Havia um homem no tanque de Betesda que nunca conseguia alguém que o colocasse dentro da água para ser curado. Jesus foi até ele e lhe deu o que há anos ele esperava.

Jesus não mudou, Deus não muda. Ele ouve orações e continua respondendo e normalmente as respostas vêm do jeito menos esperado. Volto à minha história. Hoje estava procurando um livro para baixar na Internet e, em meio a muitos, baixei A Assinatura de Jesus, de Brennan Manning. Comecei a minha leitura e minha resposta estava lá. O propósito do livro é tratar do tema fé.

Como podemos não crer na ação do Espírito Santo? Havia tantos títulos, tantos assuntos e o título do livro não tem nada a ver com fé, mas, quando terminei o primeiro capítulo vi a sugestão do autor: "Ao virar cada página deste livro, sugiro que você ore dizendo: 'Senhor, aumenta a minha fé". Não é lindo ver como Deus responde as orações!

Sei que você também tem os seus desafios. Precisa de respostas? A pergunta que faço é: você tem levado a Jesus as suas perguntas? E mais: você tem procurado suas respostas, considera a possibilidade de ela aparecer nos lugares mais inesperados, seria capaz de ouvir uma mula falar, como aconteceu com Balaão, um profeta que precisou ouvir Deus falar com ele pela boca de um animal?

Deus fala, Deus responde, Deus se importa com as suas questões, Deus quer se revelar a você. Invoca-me e te responderei; anunciar-te-ei coisas grandes e ocultas, que não sabes (Jr 33.3).

Tenha uma semana maravilhosa
!

sexta-feira, setembro 23, 2011

O Começo do Começo

No último post, encerrei falando sobre sermos mais do que vencedores. Essa é uma proposta maravilhosa. Ou seja, é mais do que ganhar a medalha de ouro, mais do que receber o Oscar ou o Grammy, mais do que subir no lugar mais alto do pódio, mais do que bater qualquer recorde.

Não sei se isso se parece com a vida que você leva hoje. Estar acima das circunstâncias? Está tudo caminhando para um problemaço, mas você se concentra na solução que está por vir e pensa nela de manhã, logo ao acordar e diz a si mesmo: "É hoje, vai acontecer"...

No fundo sabemos que não é assim tão fácil. Só existe um caminho para chegar a esse estado de mais do que vencedor: possuir o know-how necessário. Como assim? A vitória que vence o mundo se chama fé. Esta é a vitória que vence o mundo: a nossa Fé! (1 João 5:4).

Ouvi um pregador dizer que a maior dor de Deus é não ser acreditado. Sem fé é impossível agradar a Deus, sem fé é impossível dizer à montanha saia daqui e vá para ali, porque ela não se moverá, sem fé não há como vencer a batalha da vida.

Recentemente participei do congresso Miss Batom, sobre o qual já falei aqui. O tema era Mulher de Fé. Foi incrível ver mulheres comuns como eu conhecerem tanto de Deus, executarem feitos tão extraordinários, exalarem uma paz e uma sabedoria visíveis. Qual é o segredo para ter essa fé? A fé vem pelo ouvir, e o ouvir pela palavra de Deus (Rm 10.17). Vamos desmistificar o texto aqui. O que a Bíblia quer dizer não é que você deve ligar o celular e pôr a Bíblia para tocar. Nada disso, mas que a fé vem por ler a Palavra e receber seus conselhos, seus mandamentos, suas leis pondo-as em prática.

O livro de Provérbios nos conclama inúmeras vezes a ouvir. Diz: "Ouvi, filho meu" não no sentido de escutar, mas de praticar. Por onde começar? Por obrigar-se a desenvolver um hábito de leitura da Palavra. Esse é o começo do começo.

Indico para você aqui algo que tem me abençoado muito. É um site que tem a Bíblia em várias traduções e vários planos de leitura da Bíblia: em um ano, noventa dias, quarenta dias, por assunto. Entra lá. Cadastre-se. Comece agora. Termine este ano mais sábio do que você já é. Cresça em fé.Aqui vai o nome do site. Procura aí no google. youversion.com.

Um beijo.

quinta-feira, setembro 22, 2011

Vitória certa

Agora sim, tenho tempo para sentar e escrever. São as estações da vida. As árvores obedecem a estações, a lua tem suas fases, nós também enfrentamos tempos e tempos, como diz lá em Eclesiastes 3: tempo de calar, tempo de falar...

Muita coisa mudou na minha vida. O horário de trabalho aumentou, retirando um pouco da flexibilidade e da disponibilidade que eu tinha para me deliciar com os pensamentos em voz alta, aliás, em dedos apertados nas teclas daqui. Depois de mais de cinco anos orando, chorando e trabalhando com zelo por uma promoção ela chegou. Aleluia!

Estou num tempo de bonança. Pouca luta? De forma alguma. As lutas são as mesmas, nas mesmas áreas, mas eu mudei. O que antes era um peso grande hoje nem tento carregar. Deixo lá onde está. Finjo que não vejo. Melhor: mostro para Deus. Digo: Senhor, continua lá e eu ainda estou esperando pela Tua Palavra que diz: "As nossas obras, Tu as fazes por nós".

Outro dia estava lendo o livro de Josué e deparei-me com um texto que foi para mim como um bálsamo. "Aí está a terra que eu estou dando a vocês. Eu, o Senhor, jurei a Abraão, a Isaque e a Jacó, os antepassados de vocês, que daria essa terra a eles e aos seus descendentes. Portanto, vão e tomem posse dela.” (Dt 1:8). Aqui o texto informa que Deus tinha dado a terra ao povo, "dadinho da silva".

Quando penso que ganhei alguma coisa, o único trabalho que imagino ter é desembrulhar o presente, o que é extremamente prazeroso e indolor. Interessante isso. Deus disse que deu a terra. Então que outra coisa poderia passar pela cabeça de quem recebe senão carregar as tendas e armá-las o mais perto possível de lindas cachoeiras e árvores frutíferas? Mas a proposta de Deus era bem mais do que isso.

Mais tarde, a Bíblia relata que a terra era povoada por gente forte, havia gigantes, muralhas fortificadas, ou seja, para possuí-la, seria necessário travar grandes batalhas. Inicialmente você pode, como eu, pensar: que presente de grego! Muito pelo contrário - desculpe a expressão tão deselegante! -, Deus daria a eles mais do que a terra. Não adianta presentear alguém com algo que este é incapaz de manter. O Senhor ensinaria a eles como manter o presente.

O que seria de alguém que ganhasse uma Ferrari sem dinheiro para pagar o seguro, os impostos, as despesas que o carro traz? Pois é. Deus é infinito em sabedoria. O povo hebreu vivia uma época em que, para conquistar territórios, era necessário empreender grandes batalhas. Se a terra era tão boa como Deus havia dito - e de fato o era -, os homens precisariam estar preparados para guerrear por ela. No fundo, o que o Senhor estava propondo a eles era um presente completo. Guerrearia com eles e por eles, daria a terra e tudo o que nela estava contido e tudo aconteceria de uma forma que os povos de lá retirados teriam temor dos novos habitantes, de sorte que estes poderiam viver em paz, pois ninguém teria coragem de chamá-los à guerra.

A parte de Deus estava pronta: "Está consumado"! Ainda hoje, tudo o que Ele tem para nós está pronto. A parte do homem era entrar na batalha e conquistar. Terminada a batalha, conquistado o território, o resultado não era apenas a posse, mas preparo, força, coragem para, se necessário, empreender novas guerras para mantê-la. Quem guerreou uma vez e venceu está pronto e fortalecido para novas batalhas.

Ainda hoje é assim. O que Ele quer me dar está reservado. Basta eu empreender as batalhas e tomar posse de Suas dádivas. Dá medo, desconforto, desgasta muito, mas vida e batalha são sinônimos. Sua batalha está ganha. Vá lá. Jogue a pedra no gigante, grite bem alto até a muralha cair, mergulhe sete vezes no rio até ficar limpo, toque na orla de Jesus e seja curado. Lembre-se sempre, como eu tenho me forçado a relembrar: Em todas essas coisas, porém, somos mais do que vencedores por meio daquele que nos amou (Rm 8.37).

Beijo.

quinta-feira, agosto 18, 2011

Lugares e Lugares



Desta vez demorei muito a escrever, não é mesmo? Não foi porque não tivesse o que dizer, mas é que o ritmo da vida está frenético. Não sei se você sabe, mas, no mês de setembro, realizamos na minha igreja, Batista Filadélfia de Taguatinga, um evento para aproximadamente três mil mulheres. Ajudo na organização. Então você deve imaginar como está tumultuada a vida, não é mesmo? Aproveito para convidar você a estar lá. Dias 6 e 7 de setembro. Para saber mais, entre no site ibftonline.com.

Mesmo em meio a tanto trabalho, uma coisa que faço questão de manter é minha vida devocional. Aliás, quanto mais se intensificam as lutas, mais me aquieto no lugar secreto, mais cresço. Estou aprendendo muito com a experiência de Jó. Satanás tentou aprontar com ele. Pretendia vê-lo murmurar, negar a Deus, retroceder. Mal sabia ele que estava ajudando e não atrapalhando, que tudo contribuiria para o bem.

Durante muito tempo me chateei muito com essa história – preciso confessar isso. Eu achava injusto Deus ter permitido que Jó passasse por provas tão duras. Poxa vida, não foi o próprio Deus que disse que ele era um homem justo e temente a Ele? Pois é. Como o Senhor sabe que eu amo saber sobre Ele, mandou a minha resposta. Aprendi que Ele jamais permitirá que eu me mantenha no mesmo nível, que eu estacione. Fará o necessário para me promover. Como assim, Keila? É isso mesmo. Quando começar uma grande luta na sua vida, celebre. Coisas novas e grandes estão por vir.

Satanás pensava estar arrebentando com a vida de Jó, mas o resultado almejado já estava no coração de Deus há muito. Tudo o que Ele queria era uma mudança de nível: de alguém que conhece o Senhor de ouvir falar para alguém que O via com os olhos: Eu te conhecia só de ouvir falar, mas agora os meus olhos te vêem (Jó 42.5).

Eu decidi acreditar em absolutamente tudo o que a Bíblia diz, não importa se parece loucura, não importa se parece exagero, não importa... A Bíblia disse? Eu acredito e ponto final.

Uma das coisas que aprendi recentemente é que, embora a ela afirme categoricamente que Deus está em todo lugar – e isso é a pura verdade –, há lugares e lugares. Como assim? Existem lugares onde Sua presença se faz sentir de uma forma especial. Repito: embora Deus esteja em todo lugar, a Bíblia fala que Ele escolheu lugares especiais para se encontrar com as pessoas.

Lá em Êxodo, embora o Senhor se manifestasse ao povo numa coluna de nuvem e em fogo durante à noite, Ele mandou Moisés construir um lugar específico para que se encontrassem. Esse lugar se chamava tenda do testemunho. Era ali que conversava com Arão, com Moisés, ali Ele era achado, não que não estivesse em todo lugar.

Jacó viveu uma experiência interessante também. Dormiu certa noite e sonhou com uma escada por onde anjos subiam e desciam. Temeroso ele disse que aquele lugar era a porta do céu. A Bíblia está repleta de relatos assim, de lugares onde a presença de Deus era mais sensível.

Você já esteve em algum lugar assim? Se não esteve, quero indicar um. Quer saber onde é mais fácil sentir a presença de Deus hoje? Na i-g-r-e-j-a. Que descoberta maravilhosa! É isso aí. A igreja é o melhor lugar para se sentir a presença de Deus. Depois que entendi isso, minha relação com a igreja mudou, sabia? Chego lá com outras expectativas. Pois, onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, Eu estou no meio deles (Mt 18.20).

Pense nisso. Vá à igreja!

Beijo.

quarta-feira, agosto 03, 2011

Que Coragem!

Ontem pela manhã, enquanto levava meus filhos à casa da tia Adriana para pegarem a carona até a escola, pedi que orassem. O Víctor fez uma linda oração pedindo proteção, pedindo a bênção do Senhor sobre o seu dia, mas terminou dizendo apenas amém. Eu disse a ele que precisamos falar: em nome de Jesus, porque nossa oração tem outro peso quando falamos no nome dEle; é a garantia de que seremos ouvidos.

Lembro-me de um caso interessante que assisti no Fantástico há muito tempo atrás. Um homem precisava de alguma coisa de um órgão público, mas não conseguia obtê-la - se não me engano, era um processo de aposentadoria. Então ele inventou um tal Dr. Fulano (não me lembro do nome) e começou a ligar para os órgãos falando que estava recomendado por esse doutor. Ninguém conhecia esse doutor também, mas o fato de ele falar que a ordem vinha de alguém, mesmo que desconhecido, fez o processo andar e o assunto virar manchete.

Fiquei pensando depois que falei com o Toquinho na "coragem" de Jesus. Eu não gosto muito de que falem em meu nome, não gosto que me liguem para recomendar pessoas a não ser que sejam chegadas, não dou meu nome para avalizar os outros, tento preservar meu nome ao máximo. Jamais diria a um criminoso: use o meu nome que eu assino embaixo. Mas Jesus fez isso. Ele disse: : Tudo o que pedirem em meu nome eu farei. Não é muita "coragem"? É muito amor por mim.

Um bom nome abre portas. Prove para os outros que você tem um relacionamento com a Presidente da República e você verá muits ports se abrindo simplesmente por causa dela. E quem é ela diante do Rei dos reis? O nome de Jesus é sobre todo nome. E Ele nos deu o direito de usar esse nome. Pense no que esse nome não pode conseguir no céu!

A Bíblia diz que os anjos se entristeceram quando olharam para um livro selado e não encontraram ninguém digno de abri-lo até que chegou Ele, o único digno. Quem? Jesus.

Que privilégio dispor de nome tão maravilhoso!

Ore nesse nome!

Um bom dia!

segunda-feira, agosto 01, 2011

Bem alto mesmo!

Embora poucas vezes tenhamos consciência desta verdade: somos seres espirituais. Muitas vezes não damos muita atenção ao nosso espírito. Quando foi a última vez que você recebeu um elogio por ser uma pessoa cheia de Deus? Mas não é preciso mais do que um minuto para alguém falar do nosso peso, do nosso cabelo, da nossa roupa. Por quê? Porque o exterior é mais visível.

Como diz o Pr. Myles Munroe, um dos piores inimigos da fé é a vista: Porque andamos por fé, e não por vista (II Co 5.7). A visão nos ilude, nos mostra a aparência do que é, mas não a realidade. O mundo espiritual é tão real quanto aquilo que eu vejo, tem leis às quais devo obedecer e a que, mesmo que não conheça, estou submetida. Gálatas 6.7 diz: Tudo o que o homem semar, isso também ceifará.


Quem vive com base nas leis desta terra deve esperar muito pouco: no máximo uns oitenta e poucos anos, algum dinheiro que depois ficará para pessoas que até brigarão por ele, muito trabalho, algumas alegrias... Na verdade, o que temos aqui é muitíssimo pouco quando se compara à nossa alma imortal que passará uma eternidade em algum outro lugar que está sendo preparado aqui e agora.


Existe algum segredo para ter tudo aqui e lá? Claro que sim. A terra não é o purgatório. Pode ser um lugar muito prazeroso, mas apenas se, e tão somente se vivermos como cidadãos do céu e não da terra. Como diz Paulo: Se a nossa esperança em Cristo se limita apenas a esta vida, somos os mais infelizes de todos os homens (I Co 15.19). Quem vive aqui com a mente lá no céu suporta coisas inimagináveis, não se abala por uma fofoquinha aqui e ali, por uma situação financeira apertada, por uma saúde frágil...


Chamou-me a atenção a história de certo homem chamado Estêvão. A Bíblia conta que ele foi acusado de coisas que não havia feito. Mas ele obedecia a um texto a que eu quero muito obedecer: Pensai nas coisas do alto, não nas que são aqui da terra (Cl 3.2). Quem pensa nas coisas do alto vive diferente, cria uma casca grossa e um coração tão mole, tão mole que o amor não consegue ficar lá dentro; flui por todos os poros.


Consta de sua história que, por causa das acusações mentirosas, resolveram matá-lo apedrejado. Ele tinha dois lugares para onde olhar enquanto isso ocorria. Confesso que ainda não cheguei à condição e ao preparo dos mártires. Estêvão poderia ter fitado seus acusadores com aquele olhar de: "Olha só o que vocês estão fazendo; vocês vão pagar por isso". Acho que eu faria isso. Muitas vezes já tive vontade de ouvir algumas pessoas falarem na minha cara o que sei que dizem pelas costas. Isso só prova o quão longe ainda estou de onde Deus me quer, mas não me acuso, não. Prossigo para o alvo. Estou melhorando. Como diz Prov. 4, a minha vereda está brilhando mais hoje. Já fui pior.


Enquanto era apedrejado, a Bíblia conta que Estêvão olhou para o céu e disse: Eis que vejo os céus abertos e o Filho do homem, em pé à destra de Deus (At 7.56). Ele olhava para o alto e não para a terra, por isso até mesmo perdoou aqueles que o mataram. Este é o segredo: olhar para as coisas do alto, pensar nas coisas do alto, viver com base no alto, assentar-se nos lugares celestiais em Cristo e reinar de lá sem esperar ser glorificado aqui, pois pode nos esperar uma cruz ou muitas pedras - tenho certeza de que você também tem recebido algumas, não é mesmo?


Pois é. Treinamento, treinamento, treinamento, esforço, esforço, esforço, clamor, clamor e clamor para que Deus nos ajude a entender que somos do alto e não daqui.


Grande beijo.

sexta-feira, julho 29, 2011

É Ele!



Hoje é sábado. Você pode demorar um pouquinho mais no computador para aprender sobre Deus. Por isso colo aqui um texto que talvez você diga: "De novo"? O que posso eu fazer se o Senhor quer nos ensinar as mesmas coisas? Não posso é inventar assunto, falar de coisas que não sei, colar textos dos outros aqui e fingir que são meus. Preciso compartilhar o que Deus está dizendo a mim e tenho certeza de que isso vai abençoá-lo. Então, calminha. Vamos à leitura do texto de Lucas 24.13-31:

E eis que no mesmo dia iam dois deles para uma aldeia, que distava de Jerusalém sessenta estádios, cujo nome era Emaús; E iam falando entre si de tudo aquilo que havia sucedido. E aconteceu que, indo eles falando entre si, e fazendo perguntas um ao outro, o mesmo Jesus se aproximou, e ia com eles; Mas os olhos deles estavam como que fechados, para que o não conhecessem. E ele lhes disse: Que palavras são essas que, caminhando trocais entre vós, e porque estais tristes? E, respondendo um, cujo nome era Cleofas, disse-lhe: És tu só peregrino em Jerusalém, e não sabes as coisas que nela têm sucedido nestes dias? E ele lhes perguntou: Quais? E eles lhe disseram: As que dizem respeito a Jesus Nazareno, que foi varão profeta, poderoso em obras e palavras diante de Deus e de todo o povo; E como os principais dos sacerdotes e os nossos príncipes o entregaram à condenação de morte, e o crucificaram. E nós esperávamos que fosse ele o que remisse Israel; mas agora, sobre tudo isso, é já hoje o terceiro dia desde que essas coisas aconteceram. É verdade que também algumas mulheres de entre nós nos maravilharam, as quais de madrugada foram ao sepulcro; E, não achando o seu corpo, voltaram, dizendo que também tinham visto uma visão de anjos, que dizem que ele vive. E alguns dos que estavam conosco foram ao sepulcro, e acharam ser assim como as mulheres haviam dito; porém a ele não o viram. E ele lhes disse: Ó néscios, e tardos de coração para crer tudo o que os profetas disseram! Porventura não convinha que o Cristo padecesse estas coisas e entrasse na sua glória? E, começando por Moisés, e por todos os profetas, explicava-lhes o que dele se achava em todas as Escrituras. E chegaram à aldeia para onde iam e ele fez como quem ia para mais longe. E eles o constrangeram, dizendo: Fica conosco, porque já é tarde, e já declinou o dia. E entrou para ficar com eles.

E aconteceu que, estando com eles à mesa, tomando o pão, o abençoou e partiu, e lho deu. Abriram-se-lhe então os olhos, e o conheceram, e ele desapareceu-lhes. E disseram um para o outro: Porventura não ardia em nós o nosso coração quando, pelo caminho, nos falava, e quando nos abria as Escrituras?


Você já sabe como esse texto me impressiona. E por que tanta fixação com ele? Porque me reconheço nessa história. Jesus disse: "Eis que estou convosco todos os dias até a consumação dos séculos". E se existe alguma coisa impossível é que Ele minta. Ele está aqui e agora, aí e agora, todo tempo, todo dia, em todas as circunstâncias, mas muitas vezes eu pergunto: onde? Cadê?


Eu já pensei que talvez Jesus estivesse diferente naquele dia, com uma outra aparência, mas Ele era o mesmo. Até mostrou as marcas das mãos e dos pés furados a Tomé. Então porque não O reconheciam? Explico aqui embaixo.

Acho que a palavra mais problemática do evangelho não é insubmissão, desobediência, rebeldia; é FÉ. Sem ela, é impossível agradar a Deus, sem ela não conseguimos reconhecê-lO, sem ela não vemos Seu agir, sem ela nos sentimos sós.

Jesus chamou esses discípulos de néscios e tardos de coração para crer no que disseram os profetas. Então eu pergunto: "será que eles sabiam o que disseram os profetas? E essa é a parte crucial: deviam saber. Eu e você devemos saber o que diz a Palavra em cada circunstância. Deus não enfia conhecimento goela abaixo, mas permite que soframos por não tê-lo. Ele disse: "Errais porque não conheceis as Escrituras nem o poder de Deus". O homem perece porque lhe falta conhecimento. Fazer o quê? Se deseja ser ignorante, que o seja, mas não espere reconhecer Deus.

Faltava a esses homens reler os profetas e comparar tudo à luz da Bíblia. Então Jesus traz a história desse discípulo para mim e para você. O primeiro erro deles era não conferir o que aconteceu e o que disseram os profetas para verificar se tinha ou não tinha acontecido o que eles falaram, se Jesus era ou não o Messias, se a Bíblia estava ou não se cumprindo.

Lição número 1: o que Deus diz acerca da minha vida, dos meus desafios, do mundo, da igreja, de tudo? Devo conferir coisas espirituais com coisas espirituais. Saber o que Deus diz é o básico do básico.


O segundo fato que os impediu de ver Jesus foram suas expectativas. Eles esperavam que Jesus agisse de um modo, mas Ele agiu de outro. Lá em cima, no texto, diz assim: "Nós esperávamos que fosse ele que remisse Israel". E remiu. Mas eles esperavam que fosse do jeito deles e não do de Deus. É como muitos que dizem: "Eu esperava não passar pela cirurgia" e Deus resolveu agir através do médico.


Segunda lição: Deus sempre age, mas é do jeito dEle. Devo apenas crer. Minhas expectativas não importam, a forma como O espero não importa. É melhor perguntar todo tempo: "Será que é Ele"? Aliás, melhor ainda é dizer: é Ele, é Ele, é Ele. "Toda boa dádiva, todo dom perfeito vem do alto, do Pai das luzes, em que não há mudança nem sombra de variação".

Terceira lição: Ele virá, nos fortalecerá, mas podemos apressar o processo. Os homens estavam decepcionados com o que tinha acontecido. Deus não os deixou para lá. Ele não nos esquece. Quer se revelar, mas não tinha sobrado a eles nem uma pontinha de fé em que pudessem se apoiar. E como ter fé? Como acelerar o processo? Como se preparar para receber a revelação? Fazendo todo o possível para alimentar sua fé: lendo a Bíblia, andando com gente de fé, indo à igreja, cantando, lendo livros... Ih, a gente pode fazer tanta coisa! Jesus foi alimentando a fé deles, falando do que diziam os profetas, do que constava da palavra e pouco a pouco seus olhos foram sendo abertos. O Salmo 119 diz que a exposição à palavra de Deus dá luz. Os olhos foram ficando menos embaçados até a hora em que estavam preparados para a revelação total.

Muitas vezes a revelação ainda não veio porque não estamos prontos para a revelação total. E o que aconteceu quando reconheceram Jesus? Ele pôde "desaparecer". Como assim? Se você precisa ver para crer, não poderá andar com Deus. Ele resolveu que o justo andaria por fé e não pela vista. É preciso que cheguemos ao nível que Ele quer: crer, crer, crer, sem ver, sem ver, sem ver.

Trabalhe pela sua fé, esqueça suas expectativas, observe tudo à luz da Palavra e considere sempre: é Ele, só pode ser Ele, vem dEle, é por Ele e para Ele.

Poderia escrever mais um quilo, mas não dá mais.

Espero que este post tenha aberto um pouquinho mais os seus olhos.

Ótimo fim de semana!

Reparadores de brechas


Os teus filhos edificarão as antigas ruínas; levantarás os fundamentos de muitas gerações e serás chamado reparador de brechas e restaurador de veredas para que o país se torne habitável (Is 58.11,12).


Você tem algum texto que chamaria de “o versículo da sua vida”? O texto aí de cima é um daqueles que mudaram a minha vida. Em relação a ele existe um antes e um depois: antes de ler o texto e depois de ler o texto. Foi assim, um dia, na minha devocional, apareceu esse texto e foi como se ele estivesse em neon. Reluziu na minha Bíblia e nunca mais me esqueci dele. Até hoje me lembro do lado em que ele estava, da imagem fotográfica dele: estava no alto, numa página do lado esquerdo.

Antes de dizer o que significa, quero contar o que desejo que sempre aconteça nas minhas leituras. Leio a Palavra até que algum texto chame a minha atenção, aliás, tento fazer isso. Às vezes, é preciso ler dois versículos até precisar parar e meditar. Outras vezes, tenho quer ler capítulos, capítulos e capítulos.

A Bíblia não pode ser lida como se lê um livrinho de estória. Ela é viva e eficaz, precisa saltar os olhos, precisa revelar algo no novo, precisa chamar a nossa atenção, nos fazer pensar.

No dia em que li esse texto, Deus me falou claramente que sou uma “reparadora de brechas”. E olha, você acha que Ele quer isso só para mim? Claro que não. Quer também para você, por isso está na palavra. Talvez você me diga: “Mas, Keila, por que Ele nunca me disse isso”? Porque cada um tem um nível de revelação. Todos devem estar evoluindo, mas o que uma pessoa da oitava série aprende é muito diferente do que aprende uma pessoa do segundo grau, o que aprende alguém que está num curso de inglês é diferente do que estuda quem está num curso de pintura, sem falar que há também a questão da necessidade.

A Bíblia também vai se revelando a nós de acordo com a nossa necessidade. Talvez atualmente Deus esteja falando com você sobre assuntos relativos a caráter, família, ministério, finanças, saúde, futuro, não sei.

Volto ao assunto. Deus espera que nós sejamos reparadores de brechas e não divulgadores de brechas, ampliadores de brechas, apontadores de brechas. Quem quer resolver problemas, principalmente quando causados por outros? Esse texto foi escrito para pessoas que não eram responsáveis pelas brechas. A história de Israel não estava nada boa. Então Deus chama Seu povo não para descobrir culpados, não para calcular prejuízos, não para registrar os débitos e entregá-los a quem deve, mas para reconstruir a nação, fazer com que o seu país se tornasse novamente terra habitável.



Há muitas casas assoladas precisando de reparadores de brechas, gente que, calada, faz o que precisa ser feito, que não busca culpados, que está disposta a trabalhar ainda que isso não lhe renda muito, que não seja erguido um monumento em sua memória.

Não há lugar onde um reparador de brecha não seja necessário. O livro de Provérbios também diz que é sábio quem esconde a afronta, quem não divulga os prejuízos, quem não louva a si mesmo. O mundo está cheio de brechas a serem reparadas. Aliás, nossas casas, nossa vida está cheia de brechas a serem reparadas. Os cônjuges não precisam de críticos, os filhos não precisam de sermões, os líderes não precisam de gente que avalie suas decisões, todos precisam de gente que ajude a reparar a brecha.

Especialmente para as mulheres escrevo: ajudem, ajudem, ajudem. Somos chamadas “auxiliadoras”, ajudadoras. Que façamos das nossas casas terra habitável, lugar onde há prazer em se estar. Que todos possam contar conosco como “reparadoras de brechas”.

Beijo. Hora de reparar a brecha da fome da galera aqui de casa.

quinta-feira, julho 28, 2011

Novos Decretos

Eu e você um dia já ouvimos falar sobre jogar palavra fora, lançar palavra ao vento. A ideia que temos é que as palavras morrem, assim como morrem tantas outras coisas, mas não é bem assim.

As coisas não deixam de ter poder apenas porque nós não conhecemos esse poder. Os advogados sabem, e todos nós deveríamos saber, que o desconhecimento da lei não muda nada. Mesmo que você seja estrangeiro e não saiba que temos pardais para o controle de velocidade, a multa chegará inevitavelmente.

O Salmo 33 traz um texo interessante: "Pela palavra do Senhos foram feitos os céus; e todo o exército deles, pelo espírito da sua boca". É interessante essa palavra "espírito" da sua boca. Lembro também o fato de que, para a criação de tudo o verbo usado é sempre "disse" Deus. Há um poder criador na palavra. Ela cria sentimentos, cria realidades, determina.

O livro de Provérbios, aliás, toda a Bíblia está farta de recomendações sobre o uso da palavra. Quem tem cuidado com elas preserva a própria vida, declara vida e morte...

Este post aqui é só um alerta não só para que usemos bem as palavras, mas para que peçamos ao Senhor revelação, pois pode haver muitos decretos contra nós feitos até por nós mesmos. Palavras têm poder; palavras são decretos. Elas não estão voando ou morrendo, estão procurando pouso.

Uma coisa que gosto muito de fazer é ler a Bíblia colocando tudo sempre na primeira pessoa. O que está escrito ali é atual, pessoal, totalmente dirigido a mim e a você e, melhor de tudo, não fala - "Para sempre está firmada a tua palavra nos céus" e "Deus não é homem para que minta nem filho de homem para que se arrependa". O que a boca de Deus diz a sua mão fará. Se existe alguém comprometido com Suas palavras esse alguém é o próprio Deus.

Vamos parar um pouquinho para pensar: o que aconteceria se tudo o que nós disséssemos estivesse sendo registrado em algum lugar e fosse apresentado a nós pedindo providências? Nem sei o que faria. Recentemente falei ao Ric sobre o perigo de prometer coisas às crianças. Elas são implacáveis. Não perdoam mesmo. As minhas cobram toda hora, além de pensarem que toda promessa será cumprida hoje, agora mesmo.

Não sabemos se não existe "um caderninho" espiritual anotando tudo o aue dizemos. Particularmente creio que existe sim, porque a Bíblia diz que por nossas palavras seremos condenados ou absolvidos. Por isso vale a pena lembrar o texto que diz: "Até o tolo, quando se cala, é tido por sábio". Por fim, diz o ivro de Tiago: "Todo homem seja pronto para ouvir, tardio para falar, tardio para se irar".

Lance novos decretos, encha o universo de boas palavras a seu respeito e a respeito dos outros. Acima de tudo, saiba o que Deus diz acerca de tudo e repita isso para si mesmo quantas vezes forem necessárias.

Um ótimo dia para você!

quarta-feira, julho 27, 2011

Revelado

Hoje termino a minha devocional chorando, totalmente constrangida com o amor de Deus. Vou compartilhar tudinho o que aconteceu e tenho certeza de que estas palavras aqui também aquecerão o seu coração.

Insisto muito com o Senhor em determinados assuntos. E Ele, no seu amor maravilhoso, pega esses assuntos e começa a me "bombardear" com eles. Por exemplo, já disse a vocês que oro, há tempos, para que o Senhor me ajude a: amá-lO mais, honrá-lO, temê-lO e que faça crescer a minha fé. Então acontecem coisas incríveis na minha vida, como o fato de eu receber de presente pelo correio um livro sobre fé do Pr. Myles Munroe que muito me edificou.

O fato é que Deus nos leva muito a sério. Quando dizemos a Ele: dá-me um pão, não nos dá pedras; quando pedimos: dá-nos um ovo, não nos dá uma serpente ou um escorpião. Deus nos leva muito a sério.

Há tempos escrevo aqui neste blog sobre o impacto que me causa o texto sobre os dois discípulos em Emaús, sobre meu medo de ser como eles, de ter Jesus ao lado e não O reconhecer. Então baixei um livro na Internet (O Conhecimento Revelado - Pr. Luciano Subirá), mas jamais pensei que o Senhor me levaria a lê-lo para me explicar que não sou como os discípulos de Emaús, que posso viver tranquila. É engraçado, porque a fila de livros que tenho aqui em casa para ler é grande, mas o meu desejo mesmo era de ler esse livro e agora estou aqui chorando com a resposta do Senhor.

Deixe-me compartilhar um pouquinho com você o que o texto diz. Sei que o post vai ficar grande, mas tenha um pouquinho de paciência e leia até o final. Vai valer a pena.

E eis que no mesmo dia iam dois deles para uma aldeia, que distava de Jerusalém sessenta estádios, cujo nome era Emaús; E iam falando entre si de tudo aquilo que havia sucedido. E aconteceu que, indo eles falando entre si, e fazendo perguntas um ao outro, o mesmo Jesus se aproximou, e ia com eles; Mas os olhos deles estavam como que fechados, para que o não conhecessem. E ele lhes disse: Que palavras são essas que, caminhando trocais entre vós, e porque estais tristes? E, respondendo um, cujo nome era Cleofas, disse-lhe: És tu só peregrino em Jerusalém, e não sabes as coisas que nela têm sucedido nestes dias? E ele lhes perguntou: Quais? E eles lhe disseram: As que dizem respeito a Jesus Nazareno, que foi varão profeta, poderoso em obras e palavras diante de Deus e de todo o povo; E como os principais dos sacerdotes e os nossos príncipes o entregaram à condenação de morte, e o crucificaram. E nós esperávamos que fosse ele o que remisse Israel; mas agora, sobre tudo isso, é já hoje o terceiro dia desde que essas coisas aconteceram. É verdade que também algumas mulheres de entre nós nos maravilharam, as quais de madrugada foram ao sepulcro; E, não achando o seu corpo, voltaram, dizendo que também tinham visto uma visão de anjos, que dizem que ele vive. E alguns dos que estavam conosco foram ao sepulcro, e acharam ser assim como as mulheres haviam dito; porém a ele não o viram. E ele lhes disse: Ó néscios, e tardos de coração para crer tudo o que os profetas disseram! Porventura não convinha que o Cristo padecesse estas coisas e entrasse na sua glória? E, começando por Moisés, e por todos os profetas, explicava-lhes o que dele se achava em todas as Escrituras.E chegaram à aldeia para onde iam e ele fez como quem ia para mais longe. E eles o constrangeram, dizendo: Fica conosco, porque já é tarde, e já declinou o dia. E entrou para ficar com eles. E aconteceu que, estando com eles à mesa, tomando o pão, o abençoou e partiu, e lho deu. Abriram-se-lhe então os olhos, e o conheceram, e ele desapareceu-lhes. E disseram um para o outro: Porventura não ardia em nós o nosso coração quando, pelo caminho, nos falava, e quando nos abria as Escrituras"? (Lc 14.13-32).

Acho que uma das experiências mais catastróficas que alguém pode viver é andar com outra pessoa, ou até mesmo se casar com ela e não conhecê-la de fato. Os homens da história acima estavam diante do Rei dos reis. Não reconhecê-lO seria uma tragédia sem precedentes. Imagine o que seria deles no futuro quando descobrissem que deixaram Jesus ir embora sem usufruir de Sua presença?

O mesmo pode acontecer conosco. Imagine o que não será para algumas pessoas se encontrarem com Jesus e Ele lhes dizer: "Não vos conheço. Tive fome e não me destes de comer"... Alguns não reconhecem Jesus e Jesus não os conhece.

Não reconhecer Jesus é uma tragédia. E o texto explica bem por que não conheceram Jesus: "Ó néscios, e tardos de coração para crer tudo o que os profetas disseram". Quer dizer: os profetas disseram, está na Bíblia? Creiam. (Senhor, ajuda-me na minha falta de fé.)

Depois vem a parte magistral: "E aconteceu que, estando com eles à mesa, tomando o pão, o abençoou e partiu, e lho deu. Abriram-se-lhe então os olhos, e o conheceram". Como foi que conheceram a Jesus? Quando Jesus partiu para eles o pão. Como assim? Quando Jesus repartiu para eles a Palavra, o pão do céu. Ainda não entendeu? Jesus se dá a conhecer pela Bíblia. É ali que Ele revela a Si mesmo. Mas é necessário não deixar a oportunidade passar. Jesus fez que ia para outra cidade, mas, quando O convidaram para ficar, Ele ficou. Se O convidarmos para ficar, para repartir o pão da Palavra conosco, Ele não recusará. Aliás, Ele está à porta, esperando por um convite. Se Ele ficar e repartir conosco o pão da Palavra, nossos olhos serão abertos, as trevas irão embora, começaremos a entender tudo.

Se você ainda não se apaixonou por Sua Palavra, no fundo você não se apaixonou por Ele. Busque reconhecê-lO e Ele se revelará. Fará o que for preciso para que você tenha a revelação que buscar. Existe alguma área da sua vida em que você está caminhando no escuro? "Lâmpada para os meus pés é a tua palavra e luz para os meus caminhos".

Peça a Deus para se apaixonar pela Palavra, ande com pessoas apaixonadas por ela, baixe na Internet a Bíblia falada, mova-se em direção a Jesus.

Manhã inesquecível esta.

Que a revelação alcance você!

Um dia com olhos iluminados. Beijo.

terça-feira, julho 26, 2011

Aprendeu com quem?

Nossa história contém muitas personagens: amigos, família, mestres, funcionários. Nossas associações dizem muito a nosso respeito. Você se lembra daquela frase: diga-me com quem andas e direi quem és? A maior parte dos nossos relacionamentos são escolhas nossas. Estamos cultivando amigos ou nos distanciando de pessoas e isso tem tudo a ver com os nossos interesses. Já disseram que não existe relacionamento desinteressado. E é verdade.

A Bíblia diz que nós escolhemos nossos próprios mestres e que há professor para todo tipo de aluno. O texto que diz isso chamou muito a minha atenção, por isso repito aqui: "Porque virá tempo em que não suportarão a sã doutrina; mas, tendo comichão nos ouvidos, cercar-se-ão de mestres conforme as suas próprias concupiscências; e desviarão os ouvidos da verdade, voltando às fábulas" (II Tm 4.3,4). Traduzindo: buscarão pessoas que ensinem o que elas desejam aprender.

Seria uma proposta maravilhosa para os meus filhos se eu lhes perguntasse: o que vocês gostariam de estudar? A Juju responderia desenho, futebol e talvez o inglês. O Víctor diria guitarra, futebol e só. O problema é que entre o que eles querem aprender e o que eles precisam aprender há um abismo. Eles não sabem realmente de que precisam, por isso reclamam tanto da obrigação de irem à escola. Eu e você, se voltássemos no tempo, certamente trataríamos a escola e nossos mestres de outra maneira.

É incrível ver que o mesmo ocorre na vida espiritual. A Bíblia diz que as pessoas correrão atrás de pessoas que ensinem o que querem ouvir e não aquilo de que precisam. Pior: que se desviarão da verdade, o que quer dizer que muito do ensino que receberão será uma mentira, algo que para nada aproveita.

Outra coisa que aprendi esta semana é que Deus não retirou da terra de Canaã e de seus arredores todos os inimigos do povo de Israel porque era através deles que seriam provados. Você consegue perceber como tudo está relacionado? Para ser aprovado é preciso aprender com professores e passar na prova. E é bom lembrar que não sabemos as questões da prova, por isso é tão importante aprender direitinho.

A vida é repleta de testes. E por que precisamos fazê-los? Porque Deus quer nos promover.

É fundamental que nos portemos sempre como aprendizes. Estamos rodeados de mestres por todo lado. Todas as pessoas têm algo a nos ensinar. Uns nos ensinam o que fazer, outros o que não fazer. Na maioria das vezes, não será preciso correr atrás dos mestres, mas apenas aceitar aqueles que Deus tem enviado a nós. Esteja certo de que Ele enviará os professores certos. É melhor não os desconsiderarmos.

Que tal nos portarmos como aprendizes sempre?

Beijos.

segunda-feira, julho 25, 2011

Quer ajuda?

Bom-dia. Boas notícias: Deus é com você. Parece óbvio? Não importa. Deus é conosco e isso nos basta.

Se tem uma história que me intrigue é a dos dois homens no caminho de Emaús, que percorreram um longo trajeto ouvindo Jesus falar. Seus corações se moviam enquanto ouviam, mas só quando Jesus foi embora eles O reconheceram.

Existem muitas coisas que nós consideramos impossível não acontecerem: a noite vir depois do dia, o mar secar, a primavera não florir... Estamos muito acostumados com as leis da natureza, mas não tão acostumados assim com as leis de Deus.

Hoje estava lendo este texto aqui: "A coluna de nuvem, de dia, e a coluna de fogo, de noite, nunca se afastaram do povo de Israel" (Ex 13.22). Se existe alguma coisa realmente impossível é que Deus minta. Sua Palavra diz em Deuteronômio: "Deus não é homem para que minta e nem filho de homem para que se arrependa". Aleluia! E tem mais. Ele diz: "Cada uma das Suas promessas tem nEle o sim e o amém". Traduzindo: prometeu? Não volta atrás.

Muitas vezes eu prometo coisas que não posso cumprir, principalmente aos meus filhos. É claro que o faço na ignorância. Quando faço a promessa, tenho a intenção de cumprir, sim, mas nem sempre isso é possível. Por isso a cada dia tento prometer menos, responder somente aquilo que posso realizar logo.

A Bíblia está recheada de promessas maravilhosas, mas algumas são "mais espetaculares". Jesus disse: "Eis que estou convosco todos os dias até a consumação dos séculos". Hoje, agora, enquanto você lê este blog, Deus é contigo. Ele nos ama e, assim como um pai sabe dar boas dádivas aos seus filhos, o Senhor sabe e quer cuidar de nós.

Meu marido tem me ensinado grandes lições e uma delas, que acho que toda mãe precisa aprender, é esperar ser solicitada antes de agir. No meu ímpeto materno, toda hora ofereço ajuda, conselho e nem sempre eles querem essa ajuda. Eu sei qual é o caminho mais fácil e tento incutir isso na cabecinha deles, mas, como diz o Ric, ainda não têm maturidade para isso. É preciso deixá-los cair da bicicleta, levar carimbo na agenda, viver suas próprias experiências.

O que tem isso a ver com o post? Que assim como eu quero ser solicitada para dar aos meus filhos a ajuda que facilite suas vidas, Deus também quer ser solicitado. Ele está à porta e bate. Poderia entrar, mas não entra. Espera pacientemente que alguém abra a porta para ele. E como gentleman que é, não se intromete. Está lá, observa tudo, não nos abandona, mas não age sem ser solicitado.

Já ouvi pessoas dizerem: "Deus mandou uma doença, Deus tirou o dinheiro dele"... Mentira. Colhemos o que plantamos. Deus se entristece quando eu sofro e se alegra quando tudo me vai bem.

Como Sua filha, hoje oro para ter consciência de Sua presença e parei este momento aqui com a minha Bíblia para reconhecer que preciso de Sua ajuda, que desejo Seus conselhos, quero Sua repreensão, Sua correção, Sua condução, Sua companhia. Eu quero a "vida mais fácil" que Ele me oferece por Sua bendita sabedoria. E o que é a vida mais fácil? É aquela cujas ações cooperam para o meu bem, para me levar para mais perto de Deus e das pessoas. Quase sempre não é tão fácil assim, como diriam os meus filhos. Só quem tem maturidade sabe o valor do dever de casa, dos conselhos, das surras, dos castigos.

Deus está aí. Ele nunca se afasta de Seus filhos. Reconheça-O em todos os seus caminhos e Ele endireitará as suas veredas.

Tenha um dia maravilhoso!

quinta-feira, julho 21, 2011

Quem será?

Às vezes, passo por situações em que a sensação que tenho é que Deus está surpreso, não está ali, não está vendo, nem sabe. Tem horas que parece que estamos sós, jogados à própria sorte. Olhamos para nós mesmos e pensamos: e agora? O que fazer? Por onde começar?


É difícil entender os desígnios de Deus. Ele falou a Abraão: "O seu povo irá ao Egito e será escravizado durante quatrocentos anos". É claro que esse tempo tinha um significado. Havia algo para acontecer que demoraria quatrocentos anos para o ápice. Sei que o Espírito Santo um dia me revelará o porquê dos quatrocentos anos (se você souber, me conta).


Sei e estou cada dia mais convencida de que nada ocorre por acaso. Eu estava vivendo uma situação complicada no serviço e passei alguns anos clamando, mas parecia que Deus não estava ouvindo. Um dia Deus me mostrou este texto aqui na Palavra: "A maldade do povo amorreu ainda não atingiu a medida plena, exigindo castigo" (Gn 15.16). Sabe o que isso quer dizer? Que até a maldade tem uma medida. Enquanto não chegar àquela medida, não há punição.


A medida necessária para que os egípcios fossem punidos pela maldade de escravizar, torturar e matar os israelitas se daria em quatrocentos anos. Vencido o prazo, o libertador viria. E o mais interessante é que a gente sempre pensa que o libertador virá vestido de anjo, descerá do céu; é difícil aceitar que posso ter nascido na mesma casa que ele, que posso estar olhando para ele agora, que ele pode ser meu próprio irmão.


Como é difícil aceitar a grandeza que o Senhor planta dentro dos outros! Ele escolhe líderes e nós dizemos: por que não sou eu? A resposta é: porque aquele peso só ele consegue suportar. Ele tem a casca grossa necessária para as chicotadas que receberá, tem a "cabeça dura" necessária para não se deixar ser levado por qualquer opinião, tem o ímpeto necessário para se lançar numa guerra em prol de outros a ponto de matar ou morrer.


O libertador nasceu no meio do próprio povo de Deus. Dentro dele já estava o pacote necessário para ser o que deveria, mas não estava burilado. Ele tinha "defeitos" indispensáveis para um libertador: todo mundo podia conviver com maustratos contra o seu semelhante, mas ele, quando viu isso, matou um egípcio. Por quatrocentos anos eles podiam conviver com a escravidão, mas ele queria extirpá-la. Muitos poderiam passar a vida no palácio de faraó, aceitar serem chamados filhos dele mesmo sem o ser, assumir para si uma cidadania que não era a deles, mas não o libertador.


É claro que para ser um bom líder é preciso ser burilado pelo Senhor, mas grande parte desse processo ocorre na própria liderança. A gente aprende a ser pai quando o filho nasce, aprende a ser líder quando está com o povo. E a parte mais linda do processo é ver como Deus é fiel, o que quer dizer que Ele se envolve totalmente no processo. Dá a missão e trabalha junto para fazê-la cumprir.


Precisamos reconhecer que sempre há um libertador por perto e que muitas vezes ele parece tudo menos libertador. Seria um erro chamá-lo de gaguinho, de faraozinho mariquinha, de assassino, de agitador. Por causa dele, os hebreus não foram exterminados por Deus. Reconhecer a grandeza do outro é fundamental para eu não morrer.


Reconheça a grandeza que há no outro mesmo sem tentar entendê-lo. Um liderado jamais vai pensar com um líder, um empregado jamais pensará como patrão, um filho jamais pensará como um pai. Deus sabe quem chama para cada missão. Na sua missão de liderado, respeite, honre e colabore. E aí, na sua posição de autoridade, liberte outros.

Beijo.

quarta-feira, julho 20, 2011

Produtinho caro.

Pense rápido. Se eu perguntasse a você qual é produto mais caro da atualidade o que responderia? Deixe-me adivinhar a sua resposta: ouro, petróleo, água, aquela bolsa que você quer e não tem coragem de comprar? Nada disso. Ouro talvez você tenha um pedacinho aí pendurado no pescoço; petróleo deve haver algumas gotinhas no seu carro ou no de alguém que você conhece; abra a torneira de sua casa e vai sair água; a bolsa... ah, fala sério!


A resposta para essa pergunta é muito fácil. Ninguém, a maioria absoluta das pessoas dizem não possuir isto aqui: tempo. Você mesmo já deve ter dito: “Não tenho tempo”. Ô produtinho caro!

Por que algumas pessoas são tão extraordinárias? Porque fazem aquilo que não fazemos, estão dispostas a ir aonde não vamos, usam seu tempo de um modo diferente de todas as outras.

Fiquei chocada com o texto de Gn 46.2, que diz que Jacó parou para sacrificar. Os filhos de Jacó disseram a ele que seu filho predileto havia morrido. Ele quase morreu junto. Chorou por anos. Um dia, voltam a ele e dizem: “Seu filho José está vivo e é o governador do Egito”. Jacó mais do que depressa manda seus filhos o levarem até lá para vê-lo. Há pouco mais de treze anos não o via. Aliás, tinha-no como perdido, morto.

Imagino sua ansiedade, sua pressa, seu desespero por ver seu filho. Imagine se fosse você: partiria loucamente no meio de locomoção mais rápido sem escalas.
No meio do caminho, porém ¬– e esse porém faz toda diferença -, Jacó pára para sacrificar. Sacrifício naquela época não era uma oração de cinco minutos. Era preciso construir o altar, coisa que sabemos levar tempo.

Relatos assim são um choque para mim. Realmente eu não estava preparada para ter o meu nome figurando entre os heróis da fé. Com certeza, a minha escolha seria sacrificar junto com José, depois de vê-lo, de beijá-lo. Mas o sacrifício antecipado tem outro valor. Pense no que isso não significou para Deus...

Como podemos dizer que não temos tempo para a devoção? Que história poderia ser mais urgente do que ver esse filho? Há na nossa vida algo assim tão esperado?
Lembro aqui o que diz I Timóteo 2.1: Portanto, exorto, antes de tudo, que se usem súplicas, orações, intercessões, ações de graças em favor de todos os homens. Antes de tudo aqui quer dizer: antes de rever um filho de quem se está longe há treze anos, antes de sair para o trabalho, antes de ligar o computador, antes de assistir à televisão, antes até mesmo de ir à igreja. Antes de tudo mesmo.

Que lição!
Beijo.

terça-feira, julho 19, 2011

Bom-dia, bênção!

Bom-dia. Tenho ótimas notícias para você. Tenho certeza de que este post aqui vai alegrá-lo.


Você já olhou para alguma situação, ou talvez esteja vivendo uma, em que parece estar tudo ao contrário? Já se sentiu encurralado a ponto de dizer: dessa eu não escapo? Tem alguma área da sua vida em que você está totalmente enrolado, acerca da qual, se você não fosse uma pessoa de fé, diria: dessa vez eu me dei mal? Boas notícias. Aliás, ótimas notícias. Nem tudo é como parece.


Hoje estou cheia de fé. E por que tanta animação, Keila? Porque estou de recesso e passei a manhã lendo Bíblia. Que delícia! Que delícia! Comi uma porção saborosíssima do pão do céu e agora estou querendo dividir o que sobrou com você. Quer um pedaço?

Li uma das histórias bíblicas de que mais gosto: a história de José do Egito e compartilho aqui as anotações do meu caderninho.

Deus escolheu José para ser grande, assim como escolheu a você e a mim, mas, no caminho para a grandeza, há invejosos, há gente que não nos compreende, gente que quer nos impedir de crescer porque elas mesmas são medíocres, gente que simplesmente não quer agir em nosso favor quando poderia e deveria fazê-lo. E quando olhamos para isso, temos a tendência de nos entristecer. Ao invés de vermos Deus nas pessoas, vemos as pessoas como deuses, como se delas dependesse a nossa vida ou parte dela. Deus é Deus e jamais se deixa surpreender.

Deus não tem prazer no sofrimento. Ele não quer punir a terra, quer salvá-la e para isso levanta pessoas. Você é uma delas. Você nasceu para abençoar a sua família, para ser feliz, para abençoar a repartição onde trabalha, para alegrar os seus amigos. Você é um remédio para o mundo! Você nasceu para adoçar a vida dos outros. Você é uma bênção, querido, uma grande bênção. Olhe-se no espelho. Repita isso. Veja como você é lindo, divertido, inteligente, amoroso, especial. Talvez isso tudo não flua de você de uma vez só, mas está lá dentro, porque Deus está aí dentro. Aleluia!

Tudo o que nos acontece, todo sofrimento por que passamos não está alheio ao Senhor. A Bíblia diz que todo o mal que fizeram a José Deus transformou em bem. A pior coisa que está acontecendo na sua vida hoje se transformará num grande bem para você. Suporte com paciência sua breve e momentânea tribulação e fortaleça-se dando glória a Deus. Vai passar e você vai se lembrar de tudo como uma grande lição.

Por causa de José, seu pai foi abençoado, seus irmãos foram abençoados, a casa de Potifar foi abençoada, a prisão foi abençoada, o palácio do Faraó foi abençoado, o Egito foi abençoado, o mundo foi abençoado, eu fui abençoada, você foi abençoada. Repeti mil vezes a palavra abençoado sabe por quê? Porque gostaria de dizê-la um milhão de vezes a você agora. Você é uma graaaande bênção. Por sua causa, sua família, seus negócios, seus amigos, sua nação, o mundo inteiro e eu somos abençoados.

Não deixe ninguém convencê-lo de que você é menos do que o que Deus diz. Mesmo que tenham vendido você, jogado numa prisão, escravizado, mentido a seu respeito, afastado de pessoas de quem você ama, tudo Deus reverterá a seu favor. O Senhor estava com José e o abençoava em tudo o que fazia (Gn 39.23). O Senhor é com você e vai abençoá-lo em tudo o que fizer.

Obrigada por ser uma bênção.

Faça o seu dia ser abençoado!

segunda-feira, julho 18, 2011

Ande pra frente.

Talvez você estranhe eu tratar novamente do mesmo assunto, mas só posso falar daquilo que Deus está falando a mim. Eu não fico procurando temas para escrever aqui. Simplesmente registro o que vem ao meu Espírito ou à minha alma, aquilo que vejo, que sinto, que compreendo ou que quero compreender.

Quero crescer espiritualmente. Quero abandonar algumas práticas que desagradam a Deus e viver em novidade de vida, cada dia melhor, como a luz da aurora, brilhando mais e mais. Para isso é prreciso me limpar com a Palavra de Deus, renovar a minha mente para deixar de pensar como Keila e pensar mais como Jesus. Esse julgo ser um excelente alvo.

Um texto de Hebreus me falou muito a esse repeito. Está lá no capítulo 5.12: "Porque, devendo já ser mestres pelo tempo, ainda necessitais de que se vos torne a ensinar quais sejam os primeiros rudimentos das palavras de Deus; e vos haveis feito tais que necessitais de leite, e não de sólido mantimento".

Meu marido um dia me deu um exemplo do qual eu jamais me esqueci. Ele disse que a vida espiritual é como uma escada rolante ao contrário. É como se estivéssemos tentando subir por uma escada que está descendo. Se pararmos, andamos para trás. Esse exemplo é perfeito para esse texto.

Paulo estava um pouco bravo com os hebreus, dizendo para eles que eles já deveriam ter deixado de serem alunos para se tornarem mestres. E por quê? Simplesmente pelo tempo decorrido. O tempo passa para todo mundo. Chega a hora em que devemos ter conhecimento suficiente para ensinar.

No texto, Paulo diz que teria que voltar a ensinar o básico. O que me chamou a atenção foi a palavra "voltar". Palavrinha chata essa. Imagine o que é voltar ao mesmo lugar, voltar à mesma série escolar, retroceder! É horrível a sensação de andar para trás. Isso me faz lembrar o texto em que Deus diz não ter prazer em quem retrocede. Misericórdia!

Quero fazer tudo certo para não ter que voltar. Andar para a frente é o meu objetivo e não para trás. E você?

Pense nisso. Beijo.